Playing for Change in Sao Paulo!

logo for playing for changeIf I were to start writing these lines highlighting how much I love this PFC initiative and the band, let us face the truth: no news, right? So let me share something new: they are about to start off the music teaching program in Curitiba pretty soon! This is very good news, huh? 🙂

It means that kids in the Curitiba area will soon get a chance to change their lives at once. It is as the song says… “Freedom and justice, is the melody that let us shine on. If you feel it, through the music, we can make this world a better place!”

Continue reading “Playing for Change in Sao Paulo!”

Help us spread the word:

Eudoxia de Barros interpreta Kabalevsky

No fim de semana tive o prazer de assistir a um dos muitos concertos da pianista paulista Sra. Eudóxia de Barros, em um dos meus cantos preferidos para ouvir piano na cidade: a sala de recitais do Museu Brasileiro da Escultura, o MuBE. No programa, um extenso colorido de tintas de compositores nacionais, aos quais a pianista dedica sua vida como intérprete, diligentemente na missão de divulgar a brasilidade de suas notas.

Das 11 peças escolhidas para compor o programa do recital, 4 delas lhes foram especialmente dedicadas pelos compositores Ernst Mahle (Tocatina), Sousa Lima (Preludio Nr. 10), Camargo Guarnieri (Estudo Nr. 10) e Antonio Ribeiro (Estudo Nr. 02). Continue reading “Eudoxia de Barros interpreta Kabalevsky”

Help us spread the word:

The New Yorker Cartoons

Very often these cartoonists from The New Yorker make me laugh a lot. I simply could not help but share here the cartoon by the late Charles Barsotti, that was republished last Sunday. Actually, you may find interesting exploring the ‘Daily Cartoon’ section every once in a while. Have fun! 🙂

daily-cartoon-14102014-hillary

 

 

 

 

Help us spread the word:

Horowitz para sempre

Vladimir_Horowitz_1986Neste primeiro de outubro, em 1903, um músico notável nasceu em Kiev, que na época era parte do Império Russo (hoje Ucrânia). Ao contrário de outros pianistas destacados, Horowitz fez seu primeiro recital solo já com avançados 17 anos. Ele sonhava ser compositor e deu concertos apenas para ajudar financeiramente sua família durante os anos de Guerra Civil, muito embora sabe-se que durante seu tour pela Rússia, o jovem era pago em chocolates, pão e manteiga – e não em espécie. Tempos duros. Continue reading “Horowitz para sempre”

Help us spread the word: