I have a certain love for Evensong

ChoirEvensongs are evening prayer services, so called in a reference to the latin ‘Vespers‘, which means ‘evening’. They are offered as part of the liturgy of the canonical hours by many churches including Catholic, Anglican and Lutheran.

While most of those churches will refer to their evening prayers as ‘Vespers’, the Anglican tradition refers to them as ‘Evensong’. The Anglican Evensong includes psalms and canticles, conducted following a set form with a choral delivery of the service.

If you are in the UK – living or perhaps visiting – you will find an evensong near you in this great website: www.choralevensong.org. You can browse by location or even post code and they will help you find options nearby. They will also help you learn more about evensongs, for example, understanding the various musical items you will find in a Choral Evensong service. Continue reading “I have a certain love for Evensong”

Help us spread the word:

Questões Não Respondidas em Música – por Leonard Bernstein

Buscando um material de curso em Harvard estes dias cheguei sem querer a uma preciosidade: uma série de 6 aulas ministradas por ninguém menos do que o aclamado regente, compositor e escritor norte-americano Leonard Bernstein, nos idos de 1973, para uma turma de alunos num curso de inverno em Harvard.

A série – coletivamente denominada “A Questão Não Respondida”, uma tradução livre para o original em inglês “The Unanswered Question” – trata basicamente do tema música, mas o faz passeando livremente entre poesia, linguística, filosofia e física. São nada menos do que 11h de video disponíveis via Youtube!

Infelizmente, os videos estão disponíveis apenas com áudio original – em inglês – e sem legendas. A parte boa é que a pronúncia do Bernstein é muito clara e pausada, mas ainda assim, pode não ser acessível para quem não tem muita intimidade com o idioma.

A primeira aula segue aqui abaixo. A partir dela, no Youtube, é possível acessar as demais. Este material foi disponibilizado pela Escola de Música de Harvard, e faz parte do conjunto de cursos online que a escola oferece gratuitamente. É isso: boa aula! 🙂

Help us spread the word:

80 anos do pianista Gilberto Tinetti

Muitos já escreveram bons artigos para celebrar o aniversário do mestre pianista Gilberto Tinetti, que neste 2012 completa 80 anos de vida. Justas homenagens lhe tem sido prestadas – Rádio Cultura FM de São Paulo, blogs da mídia musical, e tantos outros – e o LesAmis não poderia deixar passar em branco.

Paulistano de natureza, advogado de formação, pianista, professor e revelador de talentos, dono de uma brilhante e respeitadíssima biografia musical e divulgador do piano no Brasil – a voz e a paixão por trás do “Pianíssimo”, que a Rádio Cultura FM de São Paulo leva ao ar há 25 anos ininterruptos!

Para quem ainda não teve oportunidade de conhecer o trabalho do intérprete, vale explorar um pouco na seção de música de concerto da loja de sua preferência e conferir algumas preciosidades publicadas no youtube. Deixo aqui como presentinho um trecho do Adagio da Sonata Patética de Beethoven, e dA Valsa do Adeus de Chopin, além de alguns depoimentos interessantes do pianista.

Para quem está em São Paulo capital fica a dica para apreciar o recital que ele realizará amanhã 20/Jun no Teatro Cultura Artística de São Paulo, unidade Itaim. No programa, peças conhecidas de Beethoven, Brahms e Debussy. Mais informações no website do Teatro.

Vamos ao teatro?

Help us spread the word:

Lady Macbeth rouba cena em produção no Royal Opera House

A estória gira em torno da casa real escocesa, mas nesta versão de Elaine Padmore (direção de ópera) e Antonio Pappano (direção musical), o brilho ficou por conta da belíssima interpretação da ucraniana Liudmyla Monastyrska, no papel da Lady Macbeth.

Para quem não conhece, Macbeth é uma ópera em quatro atos, escrita pelo jovem compositor italiano Giuseppe Verdi, e estreada na Itália mais tarde, em1847. Apesar de na época tê-la considerado sua melhor ópera, Verdi seguiu por anos implementando ajustes e revisões em sua obra, até a estreia em Paris em 1865. Ao lado de Don Giovanni e La Sonnambula, entre outras, Macbeth faz parte das óperas mal-assombradas, por assim dizer, onde personagens assassinadas aparecem e atormentam a vida terrena de seus assassinos.

A ópera se baseia na estória de Macbeth, escrita por William Shakespeare, e fala sobre o poder e os meios dos quais nos valemos para obtê-lo e mantê-lo. É uma estória antes de mais nada repleta de estratagemas e sangue, além de profecias e bruxas.

A versão apresentada esta semana no Royal Opera House do Covent Garden de Londres esteve mais alinhada com a versão de 1865. Além do espetacular desempenho do soprano no papel de Lady Macbeth, o coro do The Royal Opera – que tem um papel de destaque na ópera – foi outra grata surpresa. Na minha modesta opinião, o desempenho do coro foi bastante além do papel musical que lhe cabe, e excedeu as expectativas no quesito representação, algo muito bem-vindo dado o conteúdo dramático da estória.

E para fechar creio que vale parabenizar o projeto da rede Cinemark, que em sua temporada 2012 ofereceu para nós brasileiros grandes produções em ópera e ballet, gravadas ao vivo no Royal Opera House de Londres, com legendas em português e comentários do crítico Marcel Gottlieb, durante os intervalos. Vida longa ao Projeto! 🙂

Help us spread the word:

Quem se importa!

Dando sequência à retomada de atividades nos meus blogs, chego aqui ao Les Amis para divulgar uma notícia bem interessante: estreia hoje em São Paulo e no próximo dia 20 no Rio, o longa Quem Se Importa, com direção de Mara Mourão. O filme teve sua premiere mundial em Harvard e já tem na agenda uma exibição especial na Universidade de Columbia e numa conferência em Paris.

O documentário é um manifesto com ambições educativas e através de entrevistas com grandes nomes do empreendedorismo social do planeta, destaca projetos de sucesso em vários países incluindo Brasil, Estados Unidos, Tanzânia, Suiça, Peru e outros.

Para quem não conhece ou não associou, Mara Mourão é a mesma de Doutores da Alegria, lançado em 2005. Em São Paulo, o filme está em cartaz nos espaços Reserva Cultural e Itaú Frei Caneca neste final de semana, e sua permanência na agenda destes cinemas depende do público que for gerado entre 13 e 15 de abril – portanto, fica o convite!

Além de assistir o filme, fica ainda a recomendação para explorar seu website que traz bastante conteúdo interessante, incluindo uma seção específica para escolas com guias para orientar o debate na exibição escolar, ficha dos empreendedores sociais com trechos de entrevistas e alguns sites bacanas sobre empreendedorismo social.

Ótima pedida para o fim de semana na capital. Vamos ao cinema? 🙂

Help us spread the word:

2010 em revista: os 6 mais acessados no LesAmis

Feliz Ano Novo, caros amigos da música! Para quem está, como eu, passeando pela net neste domingão pós-reveillon, aproveite para conferir os 3 posts mais acessados aqui do LesAmis durante 2010. Lá vão eles:

#3 O Pedro e o Lobo do Bernstein (Ago/2010). Uma pequena crítica entre os top-3: de longe minha gravação preferida do clássico conto musicado por Prokofiev, Pedro e o Lobo. Muitos vivas pelo posto entre os 3 mais de 2010!

#2 Sobre a Comédia Infernal e o Poder da Ópera (Out/2010). Grande sucesso de crítica e público, a Comédia Infernal de John Malkovich foi uma das grandes pérolas do teatro de ópera de 2010. E como não associar histórias de crime com a ópera? Cada soprano, uma vítima. Novamente, fiquei contente de ver este post entre os top-3 e espero que os leitores tenham curtido a montagem dA Comédia Infernal tanto quanto eu.

#1 Il Barbieri di Siviglia numa divertida compilação (Fev/2010). Ah, Rossini… apelidado “Il Todeschino” (o alemãozinho) por sua declarada veneração ao grande Mozart. Fiquei contente de ter este post entre os mais acessados, afinal, além da música que fala por si, o cartoon é muito bacana – e particularmente me lembrei bastante dele durante 2010, com a montagem multimídia dO Barbeiro, pela Companhia Brasileira de Ópera do maestro John Neschling.

Entre os labels, o ranking dos 3 mais ficou assim:
#3 J. S. Bach
#2 Ópera
#1 Mozart

É isso aí. Se você perdeu algum, é uma boa oportunidade para conferir os campeões de audiência. 2011 tem muito mais música para ouvir, conversar, opinar e compartilhar! 🙂

Help us spread the word: